segunda-feira, 20 de novembro de 2017

FRANK STELLA

.
.

UM PENSAMENTO PARA HOJE

.
..

Em muitas pessoas a palavra antecede o pensamento; sabem apenas o que pensam depois de terem ouvido o que dizem.

Gustave Le Bon

.

OUTONO SOLHEIRO

.

.

BRINCAR COM O FOGO

.
..
A 11 de Março de 2001, um terramoto e tsunami danificaram o sistema de arrefecimento da central nuclear de Fukushima, o que levou à fusão do combustível de urânio como se fosse cera. Ninguém sabe até onde chegou o material radioactivo que atravessou aço e cimento.
Tentativas para o localizar foram infrutíferas pois a radioactividade destruiu todos os robôs usados nesse trabalho.
Agora, finalmente, foi construído um novo robô, do tamanho de uma caixa de sapatos (na figura em baixo) capaz de levar a cabo a tarefa de localizar o combustível radioactivo e os limites da sua presença que ainda ninguém conhece.
Só agora, mais de 16 anos depois, é possível tomar as medidas capazes de neutralizar as consequências do acidente. Justificam-se as centrais nucleares? De todo,... não!... Antes à luz da vela e máquinas a vapor.

.
..

domingo, 19 de novembro de 2017

OS GRANDES VELEIROS

.
.

ÍNTERIM

.
.

SOMOS TODOS PÓ DE ESTRELA

.
O que nos leva a aceitar a reputação de que Einstein goza? O seu valor como cientista, naturalmente. Mas, como Newton antes dele, Einstein tinha por vezes dificuldade em reconhecer as implicações das suas ideias, ao ponto de ser provável que discordasse da forma como a sua teoria da relatividade é investigada e ensinada actualmente.
Em 1939, publicou um paper com o objectivo de demonstrar que os buracos negros não existiam e não podiam existir. A denominação de buraco negro ainda não existia, mas vários físicos propuseram que a gravidade podia fazer objectos colapsar sobre si mesmos. Einstein, habitualmente com boa intuição, neste caso falhou e saiu a terreiro com cálculos correctos, mas sem se aperceber que, com densidade bastante, a gravidade sobrepõe-se às outras forças, tornando o colapso inevitável.
Embora um cérebro privilegiado, Einstein era homem e, como tal, fazia birras, asneiras e jericadas, para ser sucinto. Quem as não faz? Neste caso, da opinião sobre os buracos negros, quanto é que na posição de Einstein pesou o palpite, a embirração com os que acreditavam em buracos negros, a "fé", uma noite mal dormida, ou a digestão mal feita da cabeça de pescada ao jantar?
Os homens são iguais e Einstein era feito da mesma matéria que eles todos, ou seja, "pó de estrela morta". Do pó vieste e... rebabá.

.

DO OVO ATÉ AO AR

.
.
Apesar do nome, as asas da borboleta azul não são azuis! Embora pareça, a cor não resulta de nenhum pigmento, mas antes da forma como escamas microscópicas da asa reflectem a luz.
O vídeo mostra os 115 dias da borboleta, desde o ovo até ao ar.

.

ERRAR É PRÓPRIO DO HOMEM... ( DA MULHER TAMBÉM )

,
.
(Com colaboração de J. Castro-Brito)
.

FAROLADA DOMINGUEIRA

.
.

VERDE MAIS VERDE NÃO HÁ

.

Tem legendas em inglês, Como estas passam depressa, pode parar o vídeo para ler, depois de remover a banda que aparece a cobri-las.
...
Até hoje, entre os milhares de planetas que o homem descobriu a orbitar  estrelas, nenhum tem sinais de vida como a Terra. Desde 1977, os satélites da NASA têm observado, contínua e globalmente, toda a vida das plantas na superfície do nosso planeta, nos continentes e nos oceanos.
No Hemisfério Norte, os ecossistemas acordam na Primavera, captando dióxido de carbono e libertando oxigénio, observando 
 os satélites a expansão do verde da vegetação.
Entretanto, nos oceanos, plantas microscópicas proliferam nas áreas iluminadas pelo Sol e "explodem" em biliões de organismos capazes de fixar dióxido de carbono, o que é visível nas cores dos mapas detectados pelos satélites.
Este Outono marca o 20º aniversário da investigação da NASA  sobre a vida vegetal na Terra, único planeta conhecido onde ela existe.

.

sábado, 18 de novembro de 2017

JAZZ

.
.

CLICHÊS DO MUNDO

.
.

LIÇÕES DA VIDA MARINHA

.

Tubarões o que há sobre eles?
Fazem os outros peixes nadar mais depressa.
Robert Bly

A MINHA BELA CIDADE MORTAL

.

.
Cerca de 400 km a Norte do Círculo Polar Árctico, encontra-se a cidade de Norilsk, com 177 mil habitantes e o maior complexo mineiro e metalúrgico do mundo. 
A região "expira" para a atmosfera, por ano, mais de dois milhões de toneladas de gases poluentes. A esperança de vida ali é 10 anos inferior ao do resto da Rússia e 20 dos Estados Unidos; para não falar no clima e de outras desgraças.
Em cima, no início do vídeo, pergunta-se se viveríamos naquela cidade. O documentário responde por nós.
.

O CUCO MALUCO

.

.
........................................O cuco maluco
.....................................Do relógio de sala...
.....................................Pia, rabia
.....................................E nunca se cala...!

...........................................................José Gago in blog "Poesia"
.

ROBERT BLY

..
Robert Bly é americano, poeta e ensaísta, formado na Universidade de Iowa. Escreve coisas inesperadas como o poema transcrito no fim do post, que termina assim: [...]

[...] A má caligrafia às vezes leva a novas ideias;
E um Deus descuidado — que recusa deixar-te
Comer da Árvore da Sabedoria — pode levar
Aos livros, eventualmente a nós. Escrevemos
Poemas com mentiras, mas eles ajudam alguma coisa
.



A man told me once that all the bad people
Were needed. Maybe not all, but your fingernails
You need; they are really claws, and we know
Claws. The sharks--what about them?
They make other fish swim faster. The hard-faced men
In black coats who chase you for hours
In dreams--that's the only way to get you
To the shore. Sometimes those hard women
Who abandon you get you to say, "You."
A lazy part of us is like a tumbleweed.
It doesn't move on its own. It takes sometimes
A lot of Depression to get tumbleweeds moving.
Then they blow across three or four States.
This man told me that things work together.
Bad handwriting sometimes leads to new ideas;
And a careless God--who refuses to let you
Eat from the Tree of Knowledge--can lead
To books, and eventually to us. We write
Poems with lies in them, but they help a little.

.Robert Bly

......

ASSIM NASCE UMA LULA

..
.
O homem é o maior predador na superfície do globo terráqueo — come tudo. 
Veja como nasce uma lula, um dos seus manjares.
.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

REMBRANDT

.

ANDA PACHECO: LEAVE THE EUROPEAN UNION

...
.
O Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, lançou um ultimato ao Reino Unido: Theresa May tem um prazo até ao princípio de Dezembro para definir, nas negociações do Brexit, quanto vai pagar e como irá resolver o problema da fronteira com a Irlanda.
Os britânicos precipitaram-se, influenciados por gente como Boris Johnson, com a tradicional bazófia inglesa, e meteram-se numa embrulhada que não previram e de onde não sabem como sair. A táctica de uma no cravo e outra na ferradura não está a dar frutos porque já todos conhecem o esquema e May só não é um nabo porque é mulher — é uma nabiça.
O facto é que os beefs estão "à rasca", sem saber como descalçar a bota e a engonhar, manhosos como sempre — é o habitual wait and see. Na notícia do "The Times", à hora a que li, já havia 1714 comentários, muitos de gente com a fralda molhada e que deve ter votado "Leave".

.

ERA UMA VEZ UM HOLANDÊS QUE COMPROU UM MOINHO — EM 1953

.

.
A história é simples. Uma vez, em 1953, Eric Zwijnenberg, holandês, encontrou um moinho  desactivado, com 250 anos, numa propriedade alugada para férias. O engenho tinha sido peça fundamental na drenagem da água em excesso nas terras baixas. Zwijnenberg apaixonou-se por ele, comprou e reparou-o. Hoje é o seu orgulho.
O vídeo, feito pelo espanhol Diego Vivanco, é  oportunidade de ver o moinho e imagens como há poucas na galáxia.
.

TRIÂNGULO CÓSMICO

.
.
A Lua em quarto crescente, Júpiter, em cima, e Vénus formam um triângulo cósmico no céu de Valletta, na Ilha de Malta, com um farol em primeiro plano, na madrugada de hoje, 17 de Novembro de 2017.
A fotografia — baril  é de Gilbert Vancell.
..

VENDO PELO PREÇO QUE COMPREI

.
.

ÍNTERIM

.
.

VIVER NAS NUVENS

.

Um blog não deve ser exclusivamente uma caixa de ressonância de textos, mas pode e deve ajudar a divulgar, dentro das possibilidades, algumas  ideias que saem para a praça. É assim que frequentemente transcrevo fragmentos de textos da comunicação social escrita.
Hoje trago um excerto de José Gomes de Almeida, publicado no jornal "i" com o título "Terra chama Mário Nogueira. Escuto". Reza assim:
.
[...] No mundo real, aquele que Mário Nogueira não conhece, a meritocracia, a formação e a capacidade de trabalho contam mais do que a idade. No mundo real, nenhum empregador decide aumentar os seus funcionários simplesmente porque eles estão lá há muito tempo. No mundo real não se escolhe quem se contrata com base noutros critérios que não a competência.
Os políticos portugueses, em especial este governo, têm de decidir se preferem viver no mundo real ou no mundo imaginário de Nogueira.

.
João Gomes de Almeida in Jornal "i" (17/11/2017)

.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

OSCAR ARARIPE

.
.

MATAR A DÍVIDA

.
[...] A disciplina financeira, a solvabilidade do Estado, o evitar a bancacarrota, tudo isto impõe um objectivo traduzido em metas do défice público. O caminho para lá chegar é uma escolha nossa, feita pelos governantes em nosso nome. A via que escolhemos é completamente indiferente para aqueles que avaliam se somos ou não capazes de pagar a dívida que contraímos. Tanto se lhes faz, aos credores, que seja por via de redução dos salários da função pública ou por degradação dos serviços públicos. [...] 
.
Helena Garrido in "Observador"
.

AS GALINHAS E O GELO

.

A LUZ QUE ACENDE O OLHAR

.
.

HISTÓRIA MESTRA DA VIDA *

.
..
Sobre a extinção da civilização Maia, há consenso de que foi fruto inevitável da mudança do clima. Richardson Gill, em 2007, escreveu: "Vários períodos de seca extrema destruíram as colheitas e mataram milhares nas cidades super-povoadas. Os alimentos e a água acabaram e eles morreram. Não houve nada que pudessem fazer. A selva reclamou as cidades, com os seus palácios e pirâmides, até serem descobertos e retomados por intrépidos descobridores do Século XIX".
Da mesma maneira, ou semelhante, os habitantes da Ilha de Páscoa abateram as árvores, a fim de ganhar espaço para a crescente população e para movimentar as volumosas e características estátuas moai, sem pensar na erosão, na redução da produção alimentar e, por fim, no seu desaparecimento. Os europeus que descobriram a ilha no Século XVIII admiraram como tal povo primitivo conseguiu desenvolver aquela civilização, ao ponto de esculpir as majestosas estátuas de pedra.
Miguel de Cervantes escreveu algures: "O homem prudente deve avaliar os factos futuros pelo que aconteceu no passado e pelo que está a acontecer no presente". E olhando à volta, podemos ver os problemas que temos num mundo superpovoado, complexo, com uma sociedade e um estilo de vida progressivamente mais vulneráveis. Alguma coisa deve ser feita. Estamos a fazê-la? Não sei. Isto é, está a tentar-se fazer qualquer coisa, mas não tenho a certeza que seja a correcta.
.
* Adaptado de um ensaio de Guy D. Middleton  in "AEON Magazine"
.

ALÔ ?... É DO M13 ?

.


.
Passam hoje — 16 de Novembro de 2017 — 29 anos que o Rádio-Telescópio de Arecibo, em Porto Rico (na figura) lançou para o espaço uma mensagem de rádio dirigida ao cluster de estrelas M13, cluster gobular que orbita perto do centro da nossa galáxia, Via Láctea. Neste momento, o sinal está a 39 anos-luz de nós e continua a avançar.
A mensagem contém informação sobre os elementos químicos básicos da Terra, a estrutura do ADN, o lugar do nosso planeta no Sistema Solar e mesmo uma figura estilizada do homem — ver figura. Está escrita num sistema especial codificado, facilmente decifrado por inteligências do nosso nível.
A iniciativa foi aplaudida por muitos, mas há quem  ache uma imprudência revelar a nossa posição no espaço a civilizações alienígenas desconhecidas. Quem sabe?


quarta-feira, 15 de novembro de 2017

EDOUARD CORTES

.
.

BITAITES QUE CONSTAM

.

O que penso sobre o aborto?!...

- Considero-o um péssimo primeiro-ministro e está a governar muito mal o País.

.
Alberto João Jardim
.

A GERINGONÇA EM PRIMEIRA MÃO N'O DOLICOCÉFALO

..

.
Consegue aumentar ou diminuir o tamanho da geringonça com a roda do rato e movimentá- -la usando o ponteiro, inclusivamente virá-la de pernas para o ar  apesar disso poder acontecer espontâneamente a qualquer hora.
.

A POLUIÇÃO NO SUB-CONTINENTE INDIANO

.


.
Tirando os dias indicados nas fotografias, diz quem sabe, é sempre assim: fumo e nevoeiro (smog)
.
.

BICHOS

.

.Clique no link em cima para ver um vídeo sobre o "Bichos" de Miguel Torga
.
.
.
Veja os ciumes e a raiva deste bicho ao ver a dona a fazer festas a um cão de brinquedo.

.

TRIO DE ATAQUE

.
...

NESTE DIA

.
-
Hoje faz 75 anos o pianista e maestro argentino, residente na Alemanha, Daniel Barenboim.
Também neste dia, em 1899, o Brasil passou a ser uma república e, em 2017, o Secretário-Geral da ONU, António Guterres, recebeu o crânio Boris Johnson.
.

UMA IMAGEM PARA ESTA QUARTA-FEIRA

.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

PIERRE-AUGUSTE RENOIR

.
.

PENSÁMOS MAIS CEDO DO QUE PENSAMOS?

.


.
Um dos dados mais importantes, talvez o mais importante, na descoberta de como evoluíram mentalmente os antepassados do Homo sapiens é o conhecimento da história da linguagem, ou como ela chegou até à forma actual dos vários povos. Contudo o conhecimento dessa evolução — da linguagem falada, ou oral — é hoje impossível. A linguagem escrita, como muitas outras actividades deixou fósseis; mas a oral, não. E uma das fontes de informação mais produtivas sobre como evoluiu a mente humana, depois da linguagem, é o estudo das sepulturas, isto é, quando começou a sepultura dos mortos e de que forma era feita.
Para os antropologistas os rituais mortuários marcam o início da capacidade de pensar simbolicamente, o que confere o poder de transcender o presente, recordar o passado e visualizar o futuro. Um passo mental gigante a abrir caminho à imaginação, à criação e à modificação favorável do ambiente.
Vem a conversa a propósito da descoberta, em África, de túmulos do Homo naledi, uma inesperada mistura de formas antigas e actuais do Homo, com um cérebro bastante pequeno.
A ideia de que a cerimónia fúnebre é prática apenas do homem moderno, ou dos seus antepassados próximos, pode não ser correcta. O facto do microcéfalo H. naledi sepultar os seus mortos é contrária a essa ideia, o que põe em causa muitas outras convicções antropológicas actuais. Possivelmente, começámos a pensar mais cedo do que pensamos, passe a trapalhada — isto é, começaram alguns, porque outros ainda hoje não pensam 
— ou nem as pensam!
.
.

ANTÁRCTIDA

.
.

O MÁRIO NOGUEIRA DE BARBA

.
.

"PERSISTENCE OF VISION III"

.

..
A Catedral de Nidaros, na cidade norueguesa de Trondheim, é a catedral medieval mais a Norte no planeta Terra e tem uma história complicada de destruições e restaurações várias.
O realizador Ismael Sanz-Pena criou a animação publicada em cima a partir da fachada, reorganizando partes das imagens, com santos, bispos e outras personagens sagradas a dançar. Não sei até que ponto a ideia é irreverente, mas o efeito é feliz.
...

ARTE CONTEMPORÂNEA NO METRO DE LISBOA

.
.
(Com colaboração da Teresa, minha mulher)
.

INGLATERRA FLORIDA

.


A Inglaterra vai ter três semanas de frio, com as mais baixas temperaturas dos últimos 7 anos. A neve já chegou ao Norte e à Escócia no fim de semana e a temperatura desceu até os 3 graus centígrados. Mas o Garden House, de Buckland Monachorum, em Devon, mantem-se em grande forma, digno da fotografia excelente publicada em cima.*
.
* Tirada do The Times, não sei em que condições de legalidade
.

UM PALHAÇO BORRADO

.
.
Numa entrevista ao jornal belga Le Soir, Puigdemont declarou  estar pronto para chegar a um acordo com o Governo Central de Espanha, acordo que fica perto da independência.
Entretanto, o Partido Republicano de Esquerda da Catalunha, provável vencedor das próximas eleições, admitiu que a região não está preparada para a secessão.
Visto, lido e respigado, é tudo uma criancice irrealista, com projectos de promoção pessoal sem ponta por onde se pegue. Puigdemont é um nabo, figura caricata de opereta ou, pior ainda, um palhaço borrado que deu um passo maior que a perna.
.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

OS GRANDES VELEIROS

.
.

A PENINHA NO CHAPÉU

.
.
Folha do livro de notas de da Vinci c. 1495: um esboço da "Última Ceia", estudos geométricos sobre a quadratura do círculo, plano para uma igreja octogonal e a sua escrita codificada

***
Walter Isaacson é um patego que já foi presidente da CNN e escreveu agora um livro sobre Leonardo da Vinci, depois de ler quilómetros de prosa, segundo diz e a gente acredita, mais que os papiros da acusação do Zezito de Vilar de Maçada.
Isaacson chegou a conclusões inesperadas — mais inesperadas que o cumprimento escorreito do Orçamento do Estado para 2018 da República Portuguesa — e, sobretudo bombásticas, a saber: da Vinci era filho ilegítimo, gay, canhoto, ateu, vegetariano e defensor dos animais. Com esta de defensor dos animais é que ele me lixou, para não usar outro verbo mais vernáculo.
Só encontro uma explicação para um pândego como Isaacson escrever o pasquim: o homem é gay e militante do respectivo loby.
Gay (?!), perguntará quem me lê. E o resto, como filho ilegítimo, canhoto, ateu, vegetariano e defensor dos animais? Isso, respondo eu, são peninhas no chapéu para disfarçar. A mim não me enganas tu.
.
.

#ACULPAÉDOPASSOS

.
[...]
Chegados aqui, concluiu-se o que já se desconfiava:
quando submetidos a pressão mediática, António Costa e os seus ministros atiram a incompetência para debaixo do tapete e agem como se o país vivesse no Twitter – baralhando os dados com acusações falsas, com #aculpaédoPassos, com alheamento às suas responsabilidades, com soluções bruscas e irreflectidas. Já havia sido assim em Tancos, em Pedrógão Grande, em Leiria, no Hospital de São Francisco Xavier ou onde algo correu mal. O maior problema é esse: esta adesão à propaganda-fake-news das redes sociais constitui uma irresponsabilidade muito mais indigna e ofensiva do que qualquer jantar que se realize no Panteão.
.
Alexandre Homem Cristo in "Observador"
.

O IMPENSÁVEL

.
.
Uma bandeira dos Estados Unidos flutua em frente do retrato de Mao Tsé Tung na Cidade Proibida, na antiga Pequim, em 8 de Novembro de 2017
.

UMA EXPLICAÇÃO TOSCA

.
.
Publiquei há cerca de uma semana esta fotografia tirada depois do poente, com este nas costas do fotógrafo e em que se vê a projecção da sombra da  montanha numa nuvem e um grande "clarão" em frente dela. Aparentemente, é impossível tal projecção pois a luz do Sol foi-se quase completamente e, de qualquer maneira, a sombra parece estar para cá da montanha e não para lá. Também, na altura dizia que não se percebia o referido "clarão".
Afinal, parece que são luzes de uma cidade muito iluminada e será esta a responsável pela projecção da sombra.
Tenho dúvidas, mas vendo pelo preço que comprei. Não sei se a fotografia foi "martelada", ou se a sombra não é sombra, mas antes ausência de nuvens naquele sítio. Tive um professor que dizia: o papel aguenta tudo. Neste caso não é o papel, mas é a net a funcionar como tal.
.

A PONTE DE SHROPSHIRE

.
.
A primeira ponte de ferro construída no mundo — em 1779 — está em Shropshire, no Reino Unido, sobre o rio Svern e em ruinas, como expectável. A surpresa é que vai ser salva, graças à doação de um milhão de euros, de uma fundação... alemã, a Hermann Reemtsma Foundation!
Para quem não aceita a sujeição do sistema judicial às normas da União Europeia e "dá o Brexit", ou "de frosques", admira aceitar esm
olas da Alemanha.
.
.